Artigos

Como lidar com uma crise de saúde?

  1. Neuroplasticidade – É verdade que o cérebro e o sistema nervoso funcionam como uma máquina adaptativa. Se conduzires numa estrada de cascalho, o carro irá mentalmente transformar-se num jipe, e na pista de Fórmula 1 transformar-se-á num carro de corrida. Esta propriedade da neuroplasticidade é sem dúvida, a razão pela qual somos espécie dominante. Graças à nossa capacidade de mudança, também podemos lidar com crises graves. Só precisamos de sermos conscientes dos nossos incríveis poderes, que se manifestam na neuroplasticidade.
  1. Encontrar um objetivo em tempos de crise – Como pessoas, temos a capacidade consciente de dosear a nós próprios as recompensas da dopamina de uma forma muito subjetiva. O Dr. Huberman pensa que o nível de dopamina em tempos de crise é que desempenha um papel muito importante. O doutor menciona os famosos exemplos de Viktor Frankl ou Nélson Mandela, que em circunstâncias terríveis tiveram de sofrer muito, mas os dois encontraram mecanismos internos que lhes permitiram vencer e não só sobreviver, mas também lhes deram a capacidade de se desenvolverem face a adversidades extremas. As pessoas que superam os obstáculos, e a pandemia é um excelente exemplo, podem aprender a dosear as recompensas da dopamina, que podem aproveitar mais tarde na vida.

  2. Encontrar o sentido da vida durante tempos difíceis – Viver com desilusão e fracasso. Huberman explica o que é um erro de previsão de recompensa e como este se relaciona com situações em que uma pessoa sente desilusão após um resultado esperado. A quantidade de dopamina que recebemos antes de atingirmos o nosso objetivo deve ser inferior à quantidade de dopamina que recebemos quando atingimos o nosso objetivo. A dopamina que nos conduzirá à linha da meta deve ser produzida em maior quantidade do que a dopamina que tínhamos a caminho do nosso objetivo. Esta verdade universal também se aplica em tempos de crise.

  3. Como amigos e família afetam os nossos cérebros para nos sentirmos melhor, mesmo em tempos difíceis – Existem muitas hormonas, como a serotonina e a oxitocina que afetam o nosso bem-estar e nos recompensam por tentarmos tornar coisas que estão fora do nosso alcance agora disponíveis para nós no futuro, porque fazem parte da nossa esfera pessoal de existência. Estas substâncias são libertadas quando encontramos as pessoas mais queridas, quando vemos amigos e por vezes até quando olhamos para coisas que são importantes para nós, animam-nos porque ativam certos circuitos nervosos que ligam os intestinos e o cérebro e criam uma sensação de calor na parte superior do corpo.

Veja os outros artigos

Article-12-PR
Article 11 PR
Article 16 PR